Desenvolvimento pessoal

COVID-19: A nova realidade que não vai acabar tão cedo

COVID-19: A nova realidade que não vai acabar tão cedo

Chegámos a uma realidade que nunca julguei experienciar na minha vida. Que nos está a colocar à prova enquanto seres humanos. Acima de tudo, enquanto sociedade

Em primeiro lugar, é sempre bom relembrar que estamos a lidar com o bem mais precioso que temos: a saúde. E não é algo que deve ser levado de forma leviana. É o que nos permite acordar todos os dias e fazer aquilo que mais gostamos. 

À medida que cada vez mais pessoas começam a trabalhar a partir de casa, há sinais na nossa rotina que, indiretamente, nos relembram do que se passa. Estamos sempre com a televisão ligada nas notícias. Os nossos tupperwares acumulam-se nas gavetas. A videochamada é o pão nosso de cada dia. As portas dos ginásios fecham-se. As ruas tornam-se palcos de ecos silenciosos. As varandas são mais visitadas do que nunca. As notícias falsas inundam os grupos do Whatsapp.  

E apesar de estarmos a viver tempos de medo e de incerteza, nascem novas oportunidades para nos reinventarmos. Para nos unirmos num só e sermos capazes de procurar enfrentar um adversidade que nos recorda o quão frágil a nossa existência é.

É estranho olhar para as ruas que agora estão desertas. É difícil estar longe daqueles que amamos. É inquietante permanecer no mesmo espaço por tempo indeterminado. É frustrante não saber o que vai acontecer amanhã.

Contudo, não podemos deixar que o medo comande a nossa mente. E sim, parece fácil dizer isto… Mas temos que procurar sempre o lado otimista

Nos últimos dias, têm acontecido ações que demonstram o quão genuinamente humanos conseguimos ser. As varandas de Itália cantaram a uma só voz. Os portugueses aplaudiram a linha da frente nacional de combate ao vírus. Várias pessoas voluntariaram-se para tratar das compras ou a ir à farmácia dos seus vizinhos possivelmente mais frágeis. Vários locais públicos em Portugal estão a ser menos frequentados. João Nascimento, cientista português, reúne especialistas de todo o mundo para criar novos ventiladores.

É tempo de respeitarmos os outros. De seguir as regras recomendadas pelas autoridades competentes. De estarmos atentos às fontes de informação fidedignas. De não nos deixarmos levar pelo medo (que também pode ser um grande vírus). É tempo de ficar em casa. 

Acredito ainda que esta realidade nos faz pensar na forma como temos vindo a tratar o planeta. Num dos imensos textos e partilhas que li sobre este tema, afirmavam que o coronavírus pode ser encarado como uma espécie de lição que o planeta nos está a dar. De como o tomamos por garantido e continuamos a gastar todos os seus recursos inesgotavelmente.

Como é que será o mundo depois desta pandemia? Já pensei nisso várias vezes… É nos maiores períodos de dificuldade que usualmente demonstramos a nossa essência. E, por isso mesmo, espero que seja um mundo melhor. Mais unido e mais forte para que, enquanto espécie humana, possamos olhar para este momento e recordá-lo como algo que nunca mais aconteceu.

Comecei a trabalhar em casa desde a última quinta-feira e confesso que a adaptação não tem sido fácil. Nesse sentido, reuni algumas dicas, muitas delas ou a grande maioria já partilhada, para ajudar a melhorar a produtividade de quem tem estado em casa:

  • Veste-te como se fosses para o teu local habitual de trabalho;
  • Define um horário para o teu dia e cumpre-o;
  • Cria o teu novo “escritório” num local que te inspire, de preferência com a presença de muita luz natural;
  • Mantém o teu local de trabalho organizado e limpo;
  • Marca reuniões diárias com a tua equipa (o contacto é essencial para nos sentirmos mais próximos uns dos outros);
  • Faz pausas regulares (caminha por casa, sobre e desce escadas, vai até à varanda, ao jardim ou terraço);
  • Evita distrações necessárias (notificações de grupos das redes sociais, entre outros).

Por outro lado, pensei também em algumas dicas para quando não estamos a trabalhar, para que o dia se aproxime o mais possível da realidade:

  • Treina em casa (acompanha as sugestões de treino dadas pelos ginásio; marca um treino por videochamada com um parceiro habitual de treino. O mais importante é mexer o corpo!);
  • Experimenta receitas;
  • Lê livros que estão a ganhar pó nas estantes;
  • Investe no teu desenvolvimento pessoal (tira um curso online, acompanha um canal de Youtube. As possibilidades são infinitas!);
  • Revê as tuas séries preferidas;
  • Liga àquele amigo(a) a que já devias ter telefonado;
  • Cria cenários instragamáveis na tua casa;
  • Atualiza o teu perfil de LinkedIn;
  • Prepara o teu próprio brunch;
  • Arruma o teu armário;
  • Cria um plano de renovação para a decoração da tua casa;
  • Lança o teu projeto pessoal;
  • Ouve as tuas músicas favoritas e canta em voz alta (como se ninguém ouvisse);
  • Volta a jogar os clássicos da tua infância (Mikado, STOP, Uno);
  • Aprecia as pequenas coisas da vida (um sorriso, uma palavra, um gesto).

E, para terminar, partilho uma frase que hoje me chamou à atenção no Instagram:

“Isto há-de passar, que o civismo permaneça!”

By Daniela Grácio Santos

Especialista em Marketing Digital. Eterna amante de histórias. Fã de conversas intermináveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *