Marketing

7 dicas essenciais para Email Marketing

7 dicas essenciais para Email Marketing

Vamos começar por parar de dizer que o “Email Marketing está morto”. Melhor! Vamos parar de dizer que outros o dizem e que isso é mentira. Acho que já todos perceberam que está “alive and kicking”. Posto isto, vamos ao que realmente interessa: a maior parte das pessoas ainda não o sabe utilizar em condições.

Para simplificar, reuni 7 conselhos para quem está a pensar começar, para quem já faz mas com alguns resultados – leiam-se fracos – e para os que acreditam que podem sempre aprender algo de novo.

Diz não aos Passatempos

Agora que vais começar o tamanho da tua base de dados, do número de subscritores, pode ser algo que te incomoda. A primeira tentação é usar estratégias para um crescimento rápido da mesma. Tem cuidado. Uma das práticas mais comuns é o uso de passatempos. Não caias nesse erro. Um passatempo vai atrair a audiência errada, pessoas que procuram apenas o prémio / benefício que estás a oferecer naquele momento e não a informação que irás oferecer de futuro. Para além disso, um base de dados criada com esse tipo de utilizadores acaba por prejudicar a performance da tua newsletter a vários níveis a curto prazo. Taxas de abertura baixas, taxa de cliques nulas, etc.

Cria uma landing page para subscrição

Se tencionas enviar uma newsletter, tens de começar desde de logo a construir a tua base de dados, de preferência com autorização de quem a irá receber (sim, ainda há quem as envie sem permissões). Para isso cria uma página inteiramente dedicada a esse propósito. Monta uma landing page que seja simples e que transmita o porquê da tua newsletter. Porque motivo devo eu a subscrever? Qual a periodicidade? Que tema(s)? Porque motivo ela existe?

Define uma periodicidade e cumpre-a

Criar uma newsletter é assumir um compromisso com a tua audiência. Se eu estou disposto a dar-te o meu email, espero que me devolvas conteúdos de valor. Ao definir uma periodicidade estás também a ajudar os futuros subscritores a perceber se vale o seu esforço. Um marca que envia diariamente tem de oferecer algo de muito valor / importância para a sua audiência, não estamos propriamente dispostos a receber uma quantidade enorme de emails todos os dias. Por outro lado, um email por mês eleva a tua fasquia de qualidade. Tem mesmo de ser muito bom. Para além disso, a periodicidade vai ajudar-te a ti a trabalhar e a preparar os conteúdos para a mesma. É uma forma subtil de organização.

Utiliza um email personalizado

É bem provável que seja dos erros mais comuns que podemos identificar entre várias newsletters, o uso de um email noreply@omeusite.pt como remetente. Ao fazê-lo estás a dizer ao subscritor / cliente que por favor não fale contigo, quando é precisamente o contrário que se pretende. A forma de contornar esta situação poderá passar pela utilização de um email como newsletter@omeusite.pt (não sou um grande adepto desta estratégia) ou de um email personalizado como um rodolfo@omeusite.pt (sou um grande adepto desta estratégia). As pessoas gostam de comunicar com pessoas, ao enviares a tua newsletter com um email como o último exemplo, mesmo que seja uma personagem criada para o efeito – lembra-te da Marta da Teleseguros – as pessoas irão criar uma relação com essa pessoa. Ah! E estatisticamente a taxa de abertura é maior.

Cria um welcome email

Chego à tua landing page e subscrevo a tua newsletter. E a seguir? De seguida envia um email ao teu novo subscritor com mais informação. Aproveita este primeiro email para partilhar links que sejam importantes para ti (artigos no site, redes sociais, etc.). Em muitos casos é uma oportunidade perdida, já que não utilizam este primeiro ponto de contacto. E é algo que podes, na maior parte das plataformas, colocar em modo automático.

Assuntos de email curtos (40 caracteres máximo)

O assunto de email é o aspecto mais importante da tua newsletter. E podia ficar por aqui. Na maior parte dos casos, principalmente numa fase inicial da relação newsletter / subscritor é este que vai definir se o mesmo abre ou não o teu email. É importante que este seja curto, no máximo 40 caracteres, e directo ao assunto. Se for possível, estuda algumas opções (corre testes A/B), utiliza emojis (com moderação) e personaliza os mesmos (nome do subscritor, por exemplo). Mas antes de enviar, testa e pensa bem no mesmo.

As métricas certas

Se começares uma conversa com alguém sobre email marketing é provável que a dada altura falem sobre a dimensão da vossa base de dados. Mas será essa a métrica mais importante? Na minha humilde opinião a taxa de cliques é bem mais importante e reveladora do sucesso ou insucesso da tua newsletter. Com esta métrica entendes se o conteúdo é ou não relevante e que tipo de conteúdo deves de continuar a enviar / produzir. Mas para o teu objectivo poderá ser irrelevante, por isso define a métrica mais importante para ti.

Muito mais haveria a dizer sobre este tema, mas eu gostava que este artigo fosse rápido e prático. Se implementares algumas destas ideias, creio que já estarás a fazer muito mais do que a maioria. E vai por mim, eu subscrevo centenas de newsletters.


Nota: Este artigo foi escrito pelo Rodolfo Cardoso, que gentilmente aceitou o meu convite para partilhar o seu conhecimento no meu espaço digital. Muito obrigada pela tua partilha e contributo!

P.S. O Rodolfo lança uma newsletter semanal bastante interessante, com temas relacionados com Marketing Digital, Coaching e Desenvolvimento Pessoal. Espreita!

By Daniela Grácio Santos

Especialista em Marketing Digital. Eterna amante de histórias. Fã de conversas intermináveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.