Marketing

Afinal, o que é Escrita Criativa?

Afinal, o que é Escrita Criativa?

Há quem diga que Escrita Criativa é coisa de miúdos, há quem acredite que é entretenimento para adultos, mas há, também, quem perceba que, mesmo parecendo uma brincadeira, é algo útil para perder o medo da folha em branco e para tornar qualquer texto mais apelativo.

Apaguem a parte lógica do vosso cérebro, a que diz que um mais um são dois. Abram a mente à possibilidade de que um mais um possa ser 48, um Mercedes Benz, uma tarte de maçã, um cavalo azul.

Natalie Goldberg, Escritora

A folha em branco. O tic-tac do relógio. A noite. O dia. A folha em branco. Tudo outra vez. Quantas vezes temos de escrever um texto para apresentar na escola, um documento para entregar ao chefe, uma ata de uma reunião, uma carta de apresentação em resposta a uma proposta de trabalho, um postal para celebrar uma data especial e as palavras não saem? Parece que estão presas, agarradas no cérebro sem encontrar a porta de saída…

Saramago há só um, Pessoa há só um, Agustina, Florbela, Eça, Vergílio e Torga também há só um. A Escrita Criativa não ensina a escrever nem tão pouco a formar escritores, mas pode acontecer que depois de saber usar as ferramentas certas, depois de soltar as palavras que há dentro de si até lhe apeteça escrever um livro. Ou, simplesmente, que passe a querer ser sempre você a escrever as atas das reuniões e dar um toque de criatividade no que muitos acham que não pode ter.

A criatividade na escrita são os pozinhos de perlimpimpim que dão cor ao cinzento do mundo. A criatividade na escrita é a forma mais divertida, sem deixar de ser séria e muito trabalhosa, de brincar com as palavras.

Brincar no sentido de tirá-las do lugar onde sempre estiveram, dar-lhes outro sentido, outro sabor, outro cheiro, outro toque, outro som, até, e depois agitar, baralhar tudo no enorme caldeirão que é o cérebro humano e construir frases que se transformam em textos que rasgam o conceito da monotonia.

Parece-lhe que isto não é preciso para nada? Mas é! Um texto, seja em que contexto for, que consegue diferenciar-se dos demais – pela positiva, claro! – pode ser o primeiro passo de um longo caminho que quer percorrer. Escrever sem erros ortográficos é imprescindível, saber conjugar os verbos é obrigatório, mas saber que nem todas as histórias precisam começar com um “era uma vez…” e muito menos terminar com “e foram felizes para sempre” é de alguém que gosta de exercitar o cérebro com desafios que põem os cinco sentidos em movimentação umas vezes, acelerada, outras mais lenta, para se saborear cada letra que ganha vida no papel.

A Escrita Criativa mexe com os músculos, com aqueles que estão parados e a ganhar ferrugem dentro de nós. A Escrita Criativa é feita de exercícios rápidos, uma espécie de “fast-food” para a alma, mas sem todas as contraindicações e com vários benefícios para a saúde. A Escrita Criativa desaperta nós, desabotoa botões, desperta emoções. A Escrita Criativa não é uma vacina de uma só dose, é um comprimido diário que se põe debaixo da língua e se saboreia para o resto da vida. Sim, porque a Escrita Criativa não cura vírus, mas diz quem já experimentou, muda vidas

Tic-tac, tic-tac. O dia. A noite. A folha já cheia de palavras. Novas, velhas, usadas ou reinventadas.


Sobre a autora:

Mónica Menezes

Sou a Mónica. Sou uma apaixonada por palavras. Sou amante de histórias. Sou formadora de escrita há mais de dez anos. Depois de duas décadas ligadas ao Jornalismo, onde passei por revistas, jornais e televisão, apaixonei-me pelas salas de formação. Já publiquei três livros e vários como ghost-writer. Sou formada em Comunicação Social e Certificada em Storytelling. Acredito que uma boa história pode mudar o mundo, nem que seja o nosso mundo.

Linkedin: https://www.linkedin.com/in/mónica-menezes/

By Daniela Grácio Santos

Especialista em Marketing Digital. Eterna amante de histórias. Fã de conversas intermináveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.